Julio Cesar
|
Candidato a Vereador - Pesquisador da Sinarquia.
Como funciona essa plataforma

O PROJETO ESTÁ SOBRE AS SEGUINTES DIRETRIZES:

RESPEITAR UM SALÁRIO ESTIPULADO!

Entendemos que o salário de Vereador vem sendo estipulado pelas bancadas por décadas sem consulta popular, o valor deste tem sido acrescido durante anos sem uma referência social de valor cultural apropriada; isso tornou o cargo legislativo uma fonte de renda e muitos se candidatam para se locupletar e viver do dinheiro público.

Um valor apropriado, compreendemos, deve ter como base na responsabilidade da função e, ainda que não tanta, por parte do legislador, o mínimo que podemos arrazoar designado a profissão seria, ainda que muito os elogiando; o salário do Professor. Mesmo que saibamos serem que os professores que carregam o dever da educação e neles se assenta a responsabilidade de auxiliar os jovens na construção de valores sociais e morais com os quais vão encara o trabalho e o mundo a fim de erigir uma nação, pensem, existiria honra maior para um político receber esse valor, o piso de um professor? Uma vez comparadas as suas funções?

MAS COMO BAIXAR O SALÁRIO!

Não será um processo de fácil aceitação, ainda que a constituição não permitida e alterar, envolver uma nação nessa discussão e disseminação correta, poderia gerar resultado. Portanto fica o candidato sobre a sigla da Democracia Experimental responsável por depositar o valor excedente em uma conta e realizar periodicamente prestação dessa conta a comunidade.

SEGUIR ORIENTAÇÂO PARA GASTAR OS VALORES CAPTADOS!

O candidato concorda que só gastará os valores excedentes na conta após deliberado e estipulado via consulta popular, para que, dado a aprovação da comunidade e o fim especifico, a fim desses contentos seja feito.

QUAL SERÁ O FOCO DOS GASTOS?

Será dedicado a realização de cursos profissionalizantes na comunidade, em áreas de interesse social, podendo ser usado para carentes havendo legalidade no ato.

QUEM PODERÁ FAZER OS CURSOS?

Nossa referência será o Cadastro Único para Programas Sociais que foi instituído pelo Decreto n° 3.877, de 24 de julho de 2001 e depois revogado pelo Decreto nº 6.135 de 26 de junho de 2007, onde em seu Art. 2º define o Cadastro Único como um instrumento de identificação e caracterização sócio-econômica das famílias brasileiras de baixa renda, a ser obrigatoriamente utilizado para seleção de beneficiários e integração de programas sociais do Governo Federal voltados ao atendimento desse público.

QUAIS CURSOS SERÃO OFERECIDOS?

Possuímos primeiramente a demanda da ferramenta de votação on-line que será desenvolvida como uma espécie de portal da transparência e será oferecida a todos os municípios quantos se disponibilizarem a utilizar o sistema, nossa ideia central é fazer os municípios dos primeiros candidatos adeptos da Democracia Experimental darem iniciação a criação desse sistema; todavia isso não exclui a realização de cursos voltados as áreas de necessidade municipal, o que pode ser deliberado via consulta popular.

SEGUIR ORIENTAÇÃO POPULAR!

O candidato concorda que só dará seu voto após a consulta popular e seguira está impreterivelmente, ressalvo casos de deliberação técnica onde as sugestões não alcancem os fatos e prejudiquem as ciências em questão.

CARGOS COMISSIONADOS!

O candidato abrirá mão de comissionar ou indicar quaisquer pessoas a cargos públicos, todavia abrirá votação popular para escolha, respeitando o que segue:
A obrigação de focar em jovens, ministrando diretamente ou disponibilizando sua sala, equipamentos e acesso à internet para proporcionar cursos do Senado e Congresso para o fim de atuação na esfera pública, cabendo ainda ao Vereador todo o esforço para proporcionar isso a todos os interessados de acordo com o Cadastro Único para Programas Sociais. Ressalvo ainda o dever de realizar programas de aprimoramento da consciência política sobre estas disponibilidades.

SEM DIREITO A DIÁRIAS!

O candidato não retirará diárias, exceto com aprovação por deliberação popular uma vez expressado pelo candidato a luz do bom-senso os fatos, causa e efeitos para o mesmo!

QUAL A GARANTIA?

O candidato registrará uma carta de compromisso em cartório.